Na Morte de Oscar Perez PT e aliados de Maduro no Brasil tem SANGUE nas Mãos

Presos políticos, dezenas de mortos de cidadãos por polícia e milícia estatal, desabastecimento (recorde de mortes por desnutrição infantil), votação de
Constituinte fraudada, Procuradora Geral tendo que fugir do país.

Essas são algumas das mazelas de um país onde o socialismo e a centralização política e econômica tem adquirido “grande sucesso” (sim esse é o objetivo do socialismo).

A última vítima que também merece destaque por sua bravura e luta por liberdade foi Óscar Perez.

– 36 anos, 15 como policial (parte da Brigada de Ações Especiais e que já tinha sido chefe de operações da Divisão Aérea da polícia)
– Piloto, mergulhador e paraquedista

Pai de 3 filhos, poderia ter fugido, ficado com a família mas preferiu o caminho de um herói, pagando caro com a morte pela ditadura sanguinária (juntamente com criança e outros combatentes aliados também mortos na ação).

Segundo a Renova:

A primeira vez que ouvimos falar de Óscar Pérez foi no dia 27 de junho de 2017, quando o piloto e um grupo de apoiadores se rebelaram contra a ditadura venezuelana, roubaram um helicóptero e sobrevoaram a sede do STF na capital Caracas disparando tiros e lançando granadas. Ninguém ficou ferido na ocasião.

Em 13 de julho de 2017, durante o auge das manifestações contra Nicolás Maduro, o piloto deixou o esconderijo e compareceu em protesto noturno na capital Caracas.

Após meses sumido, o piloto reapareceu no final de dezembro durante ataque contra quartel na Venezuela que terminou com várias armas roubadas. Maduro ficou indignado e pediu “chumbo” contra os autores da ação.

Pouco antes de ser executado lembrou seus filhos:

Sebastian, Santiago, Dereck, eles sabem que nós fizemos isso por vocês, por todas as crianças da Venezuela. Espero vê-los em breve, eu amo vocês, crianças, eu amo vocês

Sua última despedida agora pode não ser possível já que ditador Maduro promete cremar corpos dos heróis abatidos.

O PT e todos aliados ao Foro de SP (que tem objetivo de criar uma grande ditadura socialista na América Latina unindo vários países) que financiaram e continuam apoiando moralmente a ditadura colhem agora mais uma morte, mostram que tem seu sangue nas mãos como co-responsáveis pela ditadura pretendida também no Brasil.

Durante governo petista BNDES impulsionou financiamentos na Venezuela, total de financiamentos no exterior foi maior do que no Brasil (principalmente pra ditaduras socialistas aliadas) e hoje Brasil colhe mortes e calotes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *